A Prefeitura de Tailândia adquire mais 20 cilindros de oxigênio com capacidade de 10m³ cada

No início do ano a capital do Amazonas teve no mês de janeiro um colapso no sistema de saúde em decorrência da falta do insumos, entre eles o principal elemento que garante a vida na Terra, o oxigênio, que é essencial para tratar casos graves de Covid-19.

Assim, o país passa pelo risco de desabastecimento do chamado “kit intubação”, essencial para realizar o procedimento médico utilizado em casos de Covid-19 grave, quando a capacidade de respiração é afetada.

Quando não é possível oferecer oxigênio de forma não invasiva, por meio de máscaras, por exemplo, é preciso intubar. O intuito da intubação é ofertar oxigênio para o pulmão que não está funcionando. Se faltar o oxigênio, o que acontece é que, em casos graves, as pessoas não vão receber o mais importante da terapia intensiva que é a ventilação. Então, a chance de morrer é muito maior

Preocupado com essa situação, o prefeito de Tailândia, Paulo Liberte Jasper Macarrão comprou mais cilindros de oxigênio, já que o município tem contrato com a empresa White Martins para que o envasamento do insumo possa garantir o oxigênio aos pacientes que tenham necessidade.

Neste sentido, a Prefeitura de Tailândia adquiriu no início da pandemia 10 cilindros de oxigênio com capacidade para 10m³ cada um. E agora, mais 20 cilindros, que dá uma totalização de 30 cilindros de 10m³, cada, dando uma retaguarda ao tratamento dos casos graves de covid-19 em Tailândia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *